11 Filmes Para se Pensar nos Direitos Femininos na Nossa Sociedade

Com a recente tragédia que se abateu na sociedade brasileira, onde um caso de estupro coletivo tomou conta das mídias e levantou questões sobre os direitos das mulheres na sociedade e seu lugar nes…

Fonte: 11 Filmes Para se Pensar nos Direitos Femininos na Nossa Sociedade

Os términos que não somos avisados

 

Quem nunca viu um relacionamento acabar sem ser avisado? Seja um namoro ou uma amizade importante, sempre ficamos como o John Travolta, sem entender o que está acontecendo e olhando de um lado pro outro.

Lembro que me apaixonei há anos atrás por um cara que era meio instável, nunca sabia o que queria, mas mesmo assim me permiti ficar com ele enquanto desse. Estava apaixonada. Ficamos um tempo juntos sem namorar, estar junto bastava. Achei que assim continuaríamos por um longo tempo, ele parecia estar apaixonado também. Mas um belo dia ele começou a não me responder mais, sumir… Fique meio louca, hahaha, pq se tem uma coisa que odeio é não saber que acabou “direito” essa coisa que era “estar junto” (esse século XXI me confunde) não namorávamos mas não ficávamos com mais ninguém (pelo menos eu não). Se quero terminar com o cara sou muito direta, explico o pq e termino, para mim isso é demonstrar respeito pelo outro, sabe? Ele pelo visto não pensava assim. Depois de um ano vida se encarregou de nos colocar junto de novo, começamos a trabalhar no mesmo lugar, e no início foi normal, até me apaixonar de novo. Estava “curada”, mas ele resolveu que ia ser fofo e se declarar, até hoje acho que só fez isso pq tinha outro na parada, rs. Lembro que fomos pra uma festa, ele me deu carona e lá na festa uma amigo e comum resolveu que queria ficar comigo, tapada do jeito que sou, não percebi nada e não fiquei com o cara pq realmente não saquei (e ele que me contou todas as investidas do cara).

Ele foi me deixar em casa, quando estava pronta pra sair do carro ele resolveu que queria conversar e me falar algumas coisas, começou a dizer que gostava de mim e essa ladainha toda. Fiquei muito chocada e sem saber o que falar, mas fiquei com ele de novo, me pediu em namoro e sinceramente até hoje não sei pq aceitei. Dois dias depois ele terminou, sumiu de novo. Não foi trabalhar, nada. Quando apareceu já sabia que ia terminar, ele sofre de depressão e teve uma crise. Dessa vez ele foi terminar e pedir desculpas. Me senti péssima, chorei, mas segui… Dessa vez parecia que a história  tinha realmente acabado, mas não foi assim por um longo tempo, senti tanto pq tinha que olhar todo santo dia pra ele, foram meses horríveis. Acho que me sentia envergonhada e imbecil, rs. Até hoje não sei se ele sentia algo, até hoje não sei bem o que foi a turbulência toda. Só sei que doeu muito, pq nunca soube o motivo de fato e nem tive a chance de reverter o quadro.

Com amigos é assim também, uma amiga muito querida parou de falar comigo aparentemente, ainda fala, mas não como antes e fico mal por isso, sou sensível, rs. Tivemos uma discussão besta dessas de amigas que discordam, e no meio da briga houve a afirmativa de que eu estava chateada e triste pq não queria reconhecer que estava errada, fiquei revoltada e disse que essa amiga não me conhecia então. Pronto minha amiga ficou super chateada e não falou mais comigo. Depois de uns dias mandei mensagem pedindo desculpas se  a tinha ofendido e ela disse que estava tudo bem que não tinha ligado pra briga, mas não estava. Ela é dessas amigas que considero irmã, conto tudo e as alegrias e as dores. Mas ela sumiu, se fala é pq está em algum grupo, se eu falar responde o básico, não sei mais nada da vida dela e vice-versa. Dói, pq gosto mesmo de resolver as coisas, odeio quando amizades acabam por besteiras, mas já não insisto para fazermos as pazes de verdade.

Hoje é um desses dias que tenho um monte de coisas pra contar, diversas coisas ruins inclusive, mas já não sei se faz sentido.

Tenho ficado péssima, há uns dias fiquei bem triste, primeiro pq minha vida tá um caos, segundo pq precisava compartilhar com quem me entende de verdade, terceiro pq realmente sinto saudades. A última vez que perdi uma amiga que considerava irmã foi há uns 10 anos atrás, não sabia mais como dói perder amigos… Tá doendo pq estou me dando conta agora que realmente a amizade se foi ou está indo embora.

Fiz a minha parte, pedi perdão, confesso que estava esperando um “me perdoa também” mas não houve isso e relevei.

Só que hoje estou cansada, joguei a toalha e resolvi deixar o luto do fim de uma grande amizade bater, tô bem triste, adoraria que não fosse assim, queria a amizade de volta, mas cada vez fica mais distante e já não sei como fazer pra resolver isso. Não desisti, só percebi que até as amizades adultas acabam e que doem do mesmo jeito que doía aos 15 anos.

 

A incrível geração de mulheres que foi criada para ser tudo o que um homem NÃO quer

Suspiros & Desatinos

05

Às vezes me flagro imaginando um homem hipotético que descreva assim a mulher dos seus sonhos:

“Ela tem que trabalhar e estudar muito, ter uma caixa de e-mails sempre lotada. Os pés devem ter calos e bolhas porque ela anda muito com sapatos de salto, pra lá e pra cá.

Ela deve ser independente e fazer o que ela bem entende com o próprio salário: comprar uma bolsa cara, doar para um projeto social, fazer uma viagem sozinha pelo leste europeu. Precisa dirigir bem e entender de imposto de renda.

Cozinhar? Não precisa! Tem um certo charme em errar até no arroz. Não precisa ser sarada, porque não dá tempo de fazer tudo o que ela faz e malhar.

Mas acima de tudo: ela tem que ser segura de si e não querer depender de mim, nem de ninguém.”

Pois é. Ainda não ouvi esse discurso de nenhum homem. Nem…

Ver o post original 663 mais palavras

10 razões para se proibir tecnologia para crianças

ANTES QUE ELES CRESÇAM

Este post vai em resposta aos leitores do “O que nós ganhamos quando a televisão saiu de cena” que pediram por dados científicos. O texto abaixo foi escrito pela Cris Rowan, Terapeuta Ocupacional Pediátrica e conta com vários resultados de pesquisas científicas feitas nos Estados Unidos e Canadá.

Aqui em casa vai continuar valendo o resultado da pesquisa: Com a tv eles ficam mais excitados, mais desobedientes, preguiçosos, sem a menor vontade de fazer outra coisa. Sem a tv eles correm, brincam, brigam, conversam, comem na mesa, pintam e criam suas próprias histórias. Independente do tamanho da necessidade do empurrãzinho que você precisa para tirar esses intrusos da sua família, as informações são de utilidade pública. Espero que aprecie minha tradução. ; )

Post publicado no Huffington Post no dia 06 de Março de 2014

10 razões pelas quais dispositivos portáteis devem ser proibidos para crianças com idade inferior a…

Ver o post original 1.240 mais palavras

Uma daquelas madrugadas…

Sabe quando você não consegue dormir com a droga do friozinho na barriga? 

A madrugada parece longa, o sono não vem, e os pensamentos sabotam e derrubam o muro que você criou para os seus “sentimentos”, e para o “sofrimento” das decepções…

Você se sente incomodada, é como se só fosse resolver depois que conversasse, mas ao mesmo tempo você não tem coragem, afinal, nunca sabemos o que esperar do lado de lá.

Indiferença? Grosseria? ou Saudade?

Não sei.

Mas também não me sinto segura pra dar o primeiro passo. Sim, me sinto uma covarde, e talvez porque já experimentei ser a pessoa que toma a iniciativa outras vezes, e em todas as vezes os resultados só me deixaram pior, e definitivamente, não é disso que preciso agora.

Pelo menos agora me permito sofrer um pouco, ou não, talvez seja apenas a tpm, fico sensível.

Espero ansiosamente pra que chegue ao fim, só assim saberei o que realmente dói.

(não é um texto pra fazer sentido, porque hoje, nada faz sentido)

A Dor Que Dói Mais

Trancar o dedo numa porta dói. Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói. Um tapa, um soco, um pontapé, doem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim. Mas o que mais dói é saudade.
Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais. Saudade do pai que já morreu. Saudade de um amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade. Saudade da gente mesmo, quando se tinha mais audácia e menos cabelos brancos. Doem essas saudades todas. 
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama. Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida. Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o aeroporto e ele para o dentista, mas sabiam-se onde. Você podia ficar o dia sem vê-lo, ele o dia sem vê-la, mas sabiam-se amanhã. Mas quando o amor de um acaba, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é não saber. Não saber mais se ele continua se gripando no inverno. Não saber mais se ela continua clareando o cabelo. Não saber se ele ainda usa a camisa que você deu. Não saber se ela foi na consulta com o dermatologista como prometeu. Não saber se ele tem comido frango de padaria, se ela tem assistido as aulas de inglês, se ele aprendeu a entrar na Internet, se ela aprendeu a estacionar entre dois carros, se ele continua fumando Carlton, se ela continua preferindo Pepsi, se ele continua sorrindo, se ela continua dançando, se ele continua pescando, se ela continua lhe amando.
Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber. Não querer saber se ele está com outra, se ela está feliz, se ele está mais magro, se ela está mais bela. Saudade é nunca mais querer saber de quem se ama, e ainda assim, doer.
Martha Medeiros

Acaba Logo 2013.

Pense em um ano tenso, um ano que intercalava entre o “mais ou menos” e “deserto”, foi um ano difícil, para mim, família e para meus amigos da #origem… Mas nós conseguimos perseverar, conseguimos chegar ao final do ano vivos e prontos para 2014.

Hoje é meu último dia trabalhando no escritório #origem, mas permaneço no movimento que vai muito além de qualquer coisa. O movimento que para muitos não apareceu, até pq a ideia nunca foi aparecer, para nós foi muito bom, apesar de todas as dificuldades, desertos e etc. Valeu a pena, sabe? Aprendi e cresci muito nesses 2 anos, no dia a dia, com meus amigos de movimento, somos irmãos e amigos de jornada, o amor e o respeito são os que nos guiam e nos fazem permanecer juntos até quando a gente se odeia haha.

É muito difícil tomar essa decisão, afinal não é só um emprego é muito além disso, mas essa decisão tinha que ser tomada. Estou tranquila, acredito que é a hora, mas também estou triste, pq era muito mais do que um simples emprego, e estou confiante, é hora de buscar novos desafios.
Obrigada, amigos da Origem, foram 2 anos de muito amor, apesar dos momentos tensos, que toda família que se ama tem, amor e respeito nunca faltaram, continuamos firmes e juntos nessa jornada de fé, amor, amizade e esperança. Amo vocês mais que tapioquinha com manteiga feita pela mamãe, vejam só como o meu amor é imenso. ❤

Neste ano Deus trabalhou na minha vida (bem crente haha) de maneira diferente, como disse anteriormente, foi um ano difícil, de muito choro, raiva, estresse, ansiedade parece que esse ano durou uns 2 anos e meio rs… Mas foi um ano bom também, há males na vida que veem para o bem. Muitos amigos estavam sempre presentes nos momentos bons e ruins. Lembro que na virada do ano pedi a Deus que os amigos verdadeiros permanecessem e que os falsos e que não acrescentavam em nada saíssem, ele ouviu a minha oração e fez isso, doeu um pouco, mas passou, é melhor assim, a gente tem que estar do lado das pessoas que nos amam e não das que ajudam os outros a falarem mal da gente, né? (Muito 15 anos essa parte haha). Obrigada, amigos, amo vocês.
Em 2013 comecei a faculdade dos meus sonhos, Relações Internacionais ❤ <3, com todo o apoio do Laurence ❤ e do Marcos <3, ganhei bolsa de estudos \o/… E de quebra ainda ganhei pessoas sensacionais nesse pacotão da faculdade, pessoas que me ajudaram de maneira simples e linda, só em me aturarem todas as noites (na maioria das vezes eu estava um saco), gente que foi amizade a 1a vista, gente que é só amor, e que vou dividir mais 3 anos da faculdade e depois o resto da vida, tenho certeza, porque a gente não se escolheu, a gente se reconheceu. ❤ Obrigada, seus lindos <3! #Muito #Amor #Envolvido
Voltei para o inglês, mas dessa vez vou terminar e aprender direitinho rs, até pq não tenho outra escolha haha, e dessa vez sinto que estou aprendendo mesmo :).

Bom, agradeço a Deus por estarmos vivas (eu, Mamy e Debbys), pela saúde, e pelo cuidado de sempre, com a minha família e amigos. E confesso que a frase que mais usei foi: ACABA LOGO 2013, ô ano filha da mãe rs, difícil.

Espero que 2014 seja um ano muito melhor, que eu consiga um emprego (por enquanto estarei vivendo com o seguro desemprego hehe) mas já estou procurando :D, porque não consigo ficar parada. Que 2014 seja sensacional, com muita saúde, alegria, amor, paz… Ah, e sucesso porfa rs.

Feliz Ano Novo, amigos.
1

2

3

4

5

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

61

62

1475912_678514728849136_2123363400_n

paula

Mais amor e menos cobranças, amigos!

Amizades que pararam de ser refúgio.

Você vive com um determinado grupo de amigos, ou só um amigo mesmo, por anos, vocês se identificam, se aturam, compartilham a vida… Mas parece que depois de tantos anos, alguma coisa muda, vocês só discordam, o egoísmo começa a falar mais alto, e mesmo você querendo manter a amizade, vê que não consegue mais, não como antes.
Os motivos, além dos já citados, são imensos, você é cobrada, quer(em) sua presença nos eventos, mas você não pode ir, porque tem que fazer trabalhos da faculdade, tem que estudar, ou por estar cansada mesmo… E são nesses momentos que você espera compreensão, apoio moral, ajuda, mas isso não acontece, em vez disso, vêem as cobranças “Ah, você está sempre ocupada, nunca tem dinheiro e blá”, aí bate uma chateação, afinal, quem disse que a vida adulta seria fácil? E quanto ao dinheiro, tudo se resume em: sou estudante. Trabalho? sim, mas pago minhas contas, minha faculdade, meu inglês, meu transporte, minha alimentação… E não, infelizmente não sou rica, minha mãe não pode bancar tudo sozinha, muito menos bancar as minhas saídas, pelo simples fato de que meus amigos querem a minha presença em todos os eventos. Sim, eu acho legal quando as pessoas querem a minha presença, quando lembram de mim, mas bate uma chateação pela falta de compreensão, sabe? As cobranças idiotas, os argumentos de, você nunca tem tempo porque não quer e etc, e isso é mentira, claro que quero sair, e espairecer, mas não posso deixar as minhas responsabilidades de lado.
Tudo que foi vivido, acaba ficando pequeno demais para as cobranças ridículas que surgem toda hora, até porque, amigos são sempre pra nos relaxar, e não para fazerem parte do sistema de cobranças da vida. Pelo menos para mim, já bastam as cobranças dos nossos pais, da faculdade, do trabalho?
Amigo que é amigo, apóia seus estudos, seus sonhos, vão sempre lhe manter firme quando você estiver a ponto de desistir, amigo não é aquele que só quer que você esteja em todos os eventos, mas aquele que também se oferece pra tirar uma dúvida sua, ou simplesmente vai pra sua casa pra te ajudar a estudar, ou que vai pra lá pra te dar um apoio moral, ou só pra estar ao seu lado. Amigo entende quando você diz que não pode, amigo não fica “achando que você não quer”, quem não quer sair pra curtir e se divertir? eu quero, e faço isso, sempre que posso, arranjo sempre um tempinho. Desculpa se quero muito ser diplomata, desculpa se tenho que me superar, porque estou muito atrás dos meus concorrentes, desculpa. Mas eu preciso fazer isso, preciso de mais amor e menos cobrança, amigos são refúgios, não? Então sejam para mim, por favor.