Nunca.

Ela sempre estava feliz, otimista. Ele sempre negativo, depressivo.

Ela só queria que os fantasmas desaparecessem. Ele só queria que ela entendesse.

Ela tentava, mas ele não ajudava.

Ela desconfiava que era amada. Ele não demonstrava.

Ele olhava apaixonado, arrependido. Ela olhava magoada.

Ele queria estar com ela, ela sabia, mas não podia decidir por ele.

Ele nunca decidiu, então ela partiu.

Voltando pra casa.

Quarta-feira passada saí do trabalho as 17h e fui voando pra casa, não via a hora de abrir a porta de casa, e no caminho, me vi de novo ansiosa como uma criança.

Quando criança eu ficava muito ansiosa esperando a minha Mãe chegar do trabalho, dava 17h e já começava a roer as unhas, aí minha mãe chegava, e eu corria para abraça-la, sentia o cheirinho dela que sempre foi de rosas, me sentia a pessoa mais segura do mundo, e a mais amada também, apesar de dividir toda atenção dela com a minha irmã rs, fora que a mamãe sempre trazia bombom, e isso é muito importante quando você é criança rs. Mas o que sempre marcou aquelas “chegadas”, foram os olhares da minha Mãe, eram os olhares de “sou muito feliz”, ela sempre ficava radiante, me abraçava e cheirava, dizia que estava com saudade, mamãe sempre 100% linda e fofa.

Voltando para quarta-feira passada…

No caminho para casa eu vinha lembrando disso, lembrando que até hoje é assim, quando mamãe chega em casa e eu estou, ela fica radiante… Mas isso é muito difícil, já que saio do trabalho direto pra faculdade e só volto 22h30. O que o que muda hoje, é que ela fica radiante quando EU chego em casa, vem na porta me receber, me dá um monte de beijo, e pergunta como foi meu dia, se estou bem… Claro que não é assim todo dia, até porque ela trabalha muito e fica cansada, tem vezes que chego e ela já está no décimo sono.

Mas agora que estou de férias da faculdade, assim que saio do trabalho já começo a ficar ansiosa de novo, porque sei que quando eu chegar em casa ela estará lá me esperando toda fofa. Nesse dia foi assim, quando abri a porta de casa, ela veio com um sorriso enorme e disse:

– Minha filha, você nem me ligou hoje no horário do almoço, fiquei esperando-

– Desculpa, Mãe, mas hoje o dia foi cheio, por isso vim correndo pra casa, estava com saudadezona também.-

Me deu um monte de beijos, ficamos abraçadas por uns minutos, até que ela disse:

– eu te amo, mas vai tomar banho, e vem lanchar- e começou a rir.

Saí rindo com o sorriso de pessoa mais feliz do mundo.